Foge Foge


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Jardim diz que Lisboa não deixou Madeira "acautelar-se ante tanto disparate"

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

ritandrade


AdminFuga
AdminFuga
O presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, culpabilizou este domingo "todos aqueles que, em Lisboa" recusaram à região uma maior autonomia pelas actuais dificuldades económicas da Região Autónoma Madeira.

O presidente do Governo Regional fez esta crítica na sua intervenção na sessão solene comemorativa dos 503 anos da cidade do Funchal.

O chefe do executivo regional disse que os tempos são novamente de resistência perante "a situação a que irresponsavelmente foi trazida a República Portuguesa", considerando que os portugueses da Madeira e Porto Santo estão a "sofrer injustamente as consequências de politicas do Estado Central e de um sistema capitalista sem regulação".

"São culpados todos aqueles que, em Lisboa, nos recusaram uma autonomia com amplitude bastante para nos permitir acautelar ante tanto disparate" assim como "todos aqueles que nos agrediram financeiramente por medíocres razões político-partidárias", salientou.

Alberto João Jardim saudou "o magnífico trabalho" do presidente da Câmara Municipal do Funchal, o social-democrata Miguel Albuquerque, apesar de por vezes tenham opiniões diferentes "inteligente e civilizadamente".

No âmbito das obras de reconstrução do temporal de 20 de Fevereiro de 2010, Alberto João Jardim recordou os inúmeros concursos públicos já abertos na cidade e sublinhou os compromissos do Governo Regional para com o município do Funchal enumerando, entre outros, a nova central de transportes públicos para oeste, o centro para deficientes motores ou novas escolas básicas de 1/o ciclo com pré-escolar.

Por seu lado, Miguel Albuquerque disse que "na vida política e no governo municipal não existem homens ou mulheres providenciais, o que existe são boas ou más políticas públicas" e salientou que a sua equipa municipal não se deslumbrou com o poder nem enjeitou o diálogo o diálogo e a auscultação das forças sociais.

"Não violámos a nossa consciência em função de calculismos políticos de circunstância, tentámos ser frontais na divergência, solidários nas dificuldades, transparentes na gestão da "res publica" e determinados na prossecução dos objetivos comuns a prosseguir", observou.

O município do Funchal homenageou hoje a título póstumo o ator madeirense Virgílio Teixeira e o ex-diretor de Turismo, João Borges, com as Medalhas de Mérito Municipal -- Grau Ouro.

A sessão solene foi marcada, a meio do discurso do presidente do Governo Regional, por uma contestação do deputado municipal do PND-M, Eduardo Welsh, que se insurgiu pelas alegadas declarações de teor partidário por parte de Alberto João Jardim.

A cidade do Funchal celebrou hoje o seu 503 aniversário com uma sessão solene que foi presidida pelo presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, que interrompeu as suas férias na ilha do Porto Santo para participar na efeméride.

A capital madeirense é governada desde as primeiras eleições autárquicas após o 25 de abril de 1974 pelo PSD e tem atualmente como seu líder Miguel Albuquerque que deverá abandonar estas funções em 2013 por exigências da lei eleitoral para as eleições para o poder local que fixa como limite o cumprimento de três mandatos seguidos.

jn



Já alguma vez te doeu o coração?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum