Relatório transmite "de uma forma muito clara as grandes dificuldades" da GNR

Ir em baixo

Relatório transmite "de uma forma muito clara as grandes dificuldades" da GNR

Mensagem por ritandrade em Sab Ago 13, 2011 12:34 pm

A Associação dos Profissionais da Guarda considera que o relatório de actividades da GNR de 2010 transmite "de uma forma muito clara as grandes dificuldades" com que a GNR se confronta.

O presidente da APG, José Manageiro, disse à agência Lusa que "as dificuldades de serviço e de motivação" dos militares estão "reflectidas" no relatório que o comando geral da Guarda Nacional Republicana elaborou.

Segundo o documento, a GNR ficou a dever 5,5 milhões de euros à Caixa Geral de Aposentações (CGA) em 2010, num ano em que 93 por cento do orçamento se destinou a despesas com pessoal.

Para o representante da maior associação profissional da Guarda, "não se pode manter o funcionamento com níveis de excelência", numa instituição com "um orçamento miserabilista e com meios de elevado nível de degradação".

José Manageiro considerou que tais condições "comprometem, em algumas circunstâncias, a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos e as próprias condições de trabalho dos militares".

O presidente da APG adiantou que a dívida à CGA resulta das alterações estatutárias, em que a responsabilidade do pagamento dos militares da reserva passou a ser da GNR durante cinco anos.

O relatório indica também que a grande maioria dos carros tem entre seis e 16 anos, o que "dificulta de sobremaneira o serviço a desempenhar".

José Manageiro referiu que estava previsto na Lei de Programação de Instalações e Equipamentos das Forças de Segurança aprovada na Assembleia da República um "quadro de investimento que não se produziu".

"A lei não teve execução. Se tivesse tido execução, a GNR não tinha os problemas que hoje têm ao nível dos salários, das condições de trabalho e ao nível da capacidade operacional", sustentou.

Sobre as missões internacionais, o presidente da Associação dos Profissionais da Guarda afirmou que é uma questão que "só o poder político pode resolver", acrescentando que a APG "sempre manifestou grandes reservas".

Segundo o documento, a participação da GNR em duas missões (uma força destacada em Timor-Leste e outra na Bósnia-Herzegovina, que terminou no ano passado) exigiu "um grande esforço humano, a par de um esforço financeiro e material assinalável, que por força das limitações orçamentais obrigou ao desvio de fundos destinados ao orçamento de funcionamento".

jn


Já alguma vez te doeu o coração?
avatar
ritandrade
AdminFuga
AdminFuga

Feminino Idade : 22
Localização : Puerto :p

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum