Foge Foge


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Mulher de 99 anos esperou 11 dias para ser operada a perna

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

ellê


Fugitivo Pro
Fugitivo Pro
Uma mulher de 99 anos esteve 11 dias com o fémur partido, à espera de ser operada no Hospital de Braga. A família, que tem como porta-voz o médico Carlos Lopes, clama por justiça. Hospital diz que não tece comentários enquanto o processo estiver aberto.

“Falsidades de informações prestadas à família da doente, suspeita de má prática médica e negligência grosseira” são as algumas das queixas que os familiares de Cândida Silva Lopes, apresentaram à administração do hospital Escala Braga. As críticas são feitas por Carlos Lopes, médico neurologista, sobrinho da idosa, que esteve 11 dias à espera de ser operada a uma perna, primeiro no Serviço de Urgência e depois em Ortopedia.

“Sou médico, sei do que estou a falar e a minha tia foi tratada indignamente por alguns profissionais do hospital de Braga”, disse, ao JN, o médico Carlos Lopes que, juntamente com o irmão Henriques Lopes, enfermeiro, lideram os protestos da família. A direcção do Escala Braga deu já início a um processo de investigação interno que ainda está a decorrer. Contudo, a família fez já uma participação à Ordem dos Médicos e à Inspecção-Geral de Saúde, tencionando ainda avançar com uma queixa-crime com os clínicos do Serviço de Ortopedia que ‘cuidaram’ de Cândida Silva Lopes.

Segundo o sobrinho, a idosa caiu no quarto no dia 23 de Agosto, de manhã. “Foi à urgência e foi-lhe diagnosticada a fractura do fémur esquerdo, tendo sido internada no Serviço de Ortopedia, para ser operada”, recorda Carlos Lopes.

Apesar da aparente urgência, a cirurgia foi marcada para quatro dias após a queda, em 27 de Agosto. “Entretanto, como a minha tia continuava no hospital, a família levou para a enfermaria um colchão anti-escaras, inexistente no serviço, e pôde constatar um nível de cuidados na enfermaria rudimentares”, refere ainda o médico.

No dia 27, a doente acabou por não ser operada, diz a família, “por não haver bloco operatório livre”. A cirurgia voltou a ser adiada para o dia 31 de Agosto, mas também não se realizou porque “o Serviço de Anestesiologia considerou que a doente não tinha condições operatórias”, conta.

“A minha tia piorou muito. O edema e as equimoses tornaram-se enormes, provocando um grande sofrimento à doente”, disse Carlos Lopes. Para a falta de condições operatórias, contou o estado físico da doente mas também a falta de exames clínicos. “Não foi feito um electrocardiograma nem foi pedido nenhum estudo de anestesiologia”, salienta o porta-voz da família.

A doente acabou por ser operada na manhã do dia 3 de Setembro, já depois da família ter apresentado queixa junto da direcção da unidade de saúde.

“O médico ortopedista que acompanhou a minha tia considerou que uma queda com fractura do fémur não é uma urgência e esqueceu-se que a doente era uma senhora de 99 anos que pode nunca mais recuperar”, frisou o clínico.

A administração do hospital Escala Braga não comenta o processo em causa só o devendo fazer depois de encerrado o processo de averiguação interno.

“Durante o tempo em que esteve internada, a minha tia piorou sempre, não lhe foram efectuados exames complementares e, por exemplo, só fez um raio-x pulmonar no dia do internamento que e não foi mais repetido”, disse, ainda,- Carlos Lopes.

Depois da alegada negligência com que Cândida Silva Lopes terá sido tratada no Escala Braga, a família está a criar o Movimento Cívico para a Defesa e Apoio aos Doentes Idosos. “Considerando a frequência com que os idosos são discriminados nos serviços de saúde em termos de prioridade de tratamento, critérios clínicos e exames subsidiários, susceptíveis de melhorar o seu tratamento e a qualidade de vida”, o médico Carlos Lopes não tem dúvidas de que o movimento terá muitos apoiantes e também muito trabalho a desenvolver.

“Os profissionais de saúde decidem de uma forma unilateral, com facilidade e impunidade, sobre aspectos essenciais de assistência e até da própria sobrevivência dos doentes neste grupo etário”, refere ainda o clínico. O movimento pretende zelar pela aplicação dos direitos dos doentes idosos em todas as valências do Serviço Nacional de Saúde.

Fonte: jn

' cláuu.


Fuga Forever
Fuga Forever
meu deuus..

sofs


Fuga Forever
Fuga Forever
isto está cada vez pior.

barbie.


Master Fuga
Master Fuga
LOL?! enfim, vai de mal a pior.

ellê


Fugitivo Pro
Fugitivo Pro
portugal merece uma vénia pela idiotice.

tiagomoura


AdminFuga
AdminFuga
ellê escreveu:portugal merece uma vénia pela idiotice.

Não podia estar mais de acordo.
Aqui deixo as minhas:




--------------------------------------
Melhor Amiga, MM *

'daniela costa


Master Fuga
Master Fuga
Meu Deus, asserio o:

ritandrade


AdminFuga
AdminFuga
Isto vai de mal a pior.



Já alguma vez te doeu o coração?

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum